Ainda almoçando a ceia de Natal? Veja os riscos e como minimizá-los

Fonte: VivaBem Uol

A ceia de Natal é sinônimo de prato cheio e mesa farta, mas a comida costuma sobrar e é comum continuar comendo as preparações nos dias seguintes. No entanto, o sabor natalino requentado esconde riscos.

Foi pensando nisso que VivaBem separou informações sobre como minimizar o risco de contaminações e quando é a hora de descartar as sobras de vez. Acompanhe a seguir.

Quais os riscos de requentar?

Requentar alimentos é uma prática comum para facilitar o dia a dia, mas pode representar riscos à

saúde devido à forma como os alimentos são acondicionados até serem requentados.

Em entrevista para matéria de VivaBem, a nutricionista Gisele Pontaroli Raymundo destaca que a proliferação de micro-organismos causadores de intoxicação alimentar é um problema sério relacionado à maneira de preparo e armazenamento dos alimentos.

Alimentos que não devem ser requentados
O reaquecimento de alimentos que não foram cozidos por completo não é aconselhado. Entre os que devem ser evitados de serem requentados, estão:

Arroz;

Ovos;

Carnes;

Frutos do mar,

Espinafre,

Beterraba;

Preparações com tomate, cebola e pimentões;

Alimentos ricos em proteínas, como feijão, lentilha e castanhas;

Molhos à base de leite e massas.

Aquecimento na panela ou no micro-ondas?
Embora o micro-ondas seja prático, ele não aquece de forma homogênea, favorecendo o acúmulo de micro-organismos. Se for usar o eletrodoméstico, opte por utensílios de vidro, que são preferíveis para evitar a transferência de componentes químicos presentes em alguns plásticos. Caso prefira fazer uso da panela, prefira as feitas de cerâmica, vidro e aço cirúrgico.

O reaquecimento das sobras é essencial para destruir micro-organismos, sendo recomendável atingir uma temperatura de pelo menos 70ºC por alguns minutos para reduzir os riscos à saúde.

Quando é hora de dar adeus à sua ceia?
A duração das sobras depende de fatores como características do alimento e presença de umidade, sendo crucial consumi-las em até três dias. Após esse período, é melhor descartar. Cuidados adicionais incluem temperatura de refrigeração inferior a 5ºC.

Além disso, a observação do aspecto sensorial dos alimentos, como odor, coloração, textura e sabor, é fundamental para identificar possíveis alterações. O descarte consciente de alimentos cujas características originais foram comprometidas minimiza riscos à saúde.

O descarte de alimentos suspeitos é crucial, mesmo que parte dos consumidores não apresentem sintomas, pois pode haver contaminação localizada. Na dúvida, a busca por ajuda médica é apropriada, principalmente em casos de desidratação severa.

Como diminuir os riscos na hora de reaquecer?
Entre as dicas para minimizar os riscos estão:

Armazenamento adequado;

Atenção à higiene dos utensílios e da cozinha;

Refrigeração rápida;

Evitar requentar várias vezes o mesmo alimento;

Descartar alimentos com odor ou cor estranha;

Checar a data de validade dos alimentos antes de prepará-los.

 

Search

Notícias Relacionadas