Lavar a casca, gema mole: quais os erros ao guardar e preparar ovos?

Fonte: VivaBem Uol

Os ovos são um dos ingredientes mais versáteis e populares da culinária mundial. No entanto, muitas vezes, erros simples ao armazená-los e prepará-los podem levar a problemas de saúde e a pratos insatisfatórios.

Veja abaixo erros que as pessoas mais cometem ao armazenar e comer ovos:

Deixar fora da geladeira

  • Um dos erros mais comuns ao lidar com ovos é o armazenamento inadequado. Ovos devem ser mantidos na geladeira, a menos que o consumo seja rápido —no mesmo dia, por exemplo.
  • A temperatura externa, sobretudo em um país tropical como o Brasil, diminui o “tempo de vida” do alimento. Então, deixá-los fora da geladeira permite a multiplicação de bactérias e aumenta o risco de intoxicação alimentar.

Oscilações de temperatura fora da geladeira fazem com que o controle de qualidade do ovo fique menor e ele pode estragar com facilidade. Aline Stripp, doutora em microbiologista pela UEL (Universidade Estadual de Londrina) 

Na geladeira, a dica é deixar os ovos longe de alimentos dos quais podem absorver odores fortes, como os de cebola ou alho.

Guardar na porta da geladeira

Deixá-los na porta do eletrodoméstico, por exemplo, não é o ideal, já que abrir e fechá-la com frequência também traz mudanças de temperatura. “O recomendável é colocar no meio da geladeira, por ser um local de refrigeração com temperatura mais estável”, orienta Stripp.

Não lavar as mãos

Antes de lidar com ovos —ou qualquer alimento—, é importante lavar bem as mãos. A falta de higiene facilita a contaminação do ovo e, consequentemente, do prato que será preparado. Lave as mãos com água morna e sabão antes e após manuseá-los.

Lavar a casca

Um erro comum é lavar os ovos antes de guardá-los. Especialistas ouvidos por VivaBem recomendam lavá-los apenas no momento do consumo. Isso porque a casca é uma proteção contra a entrada de bactérias e demais micro-organismos e lavá-la com antecedência enfraquece essa barreira.

Quando a porosidade da casca entra em contato com água e esponja, ela pode ser danificada, e isso favorece a passagem de contaminantes, como bactérias e fungos. Eles passam para a parte comestível do alimento e causam prejuízos. Jamile Tahim, nutricionista e mestre pela UECE (Universidade Estadual do Ceará)

Crescem os riscos o apodrecimento precoce dos alimentos e na intoxicação dos consumidores. Por isso, a dica é realizar apenas uma higienização básica ao armazenar os ovos, passando papel toalha caso ele apresente sujeiras.

Guardar na embalagem original

Também é recomendado retirar os ovos da embalagem original e guardá-los em um recipiente limpo. A medida é mais uma forma de prevenir o risco de contaminação, sobretudo por micro-organismos, já que as caixas são manipuladas por muitas pessoas. Consumir o ovo ainda cru Ainda é importante se atentar ao cozimento dos ovos, principalmente se você prefere a gema mole. A recomendação é cozinhar completamente o alimento, para evitar o risco de contaminação, inclusive de salmonela.Gema ou qualquer outra parte do ovo cozida tem menor probabilidade de ter algum patógeno que vai entrar no organismo. No caso, não é nenhum componente em si do próprio ovo que vá fazer mal, mas sim os micro-organismos que podem estar nele e que podem continuar ali se não cozinhar em tempo e temperatura adequados. Liana Braga, nutricionista e professora da Faculdade Pitágoras São Luís (MA) Braga alerta que é sempre preciso preparar os alimentos de acordo com as normas microbiológicas indicadas. “Em determinadas temperaturas, certos micro-organismos não vão estar ativos. O ideal para se ter um alimento mais seguro é fazer o cozimento até atingir o ponto de cocção.

Search

Notícias Relacionadas