Manteiga e colesterol, as mudanças na medicina

A má fama da manteiga está derretendo. As últimas revisões de estudos e evidências científicas apontam que seu consumo não está relacionado com doenças cardiovasculares e nem com o colesterol como pensávamos.

Mas o que compramos é realmente manteiga? Para conseguir um quilo de manteiga são necessários 25 litros de leite integral. A verdadeira manteiga têm de ter entre 80% e 90% de gordura, 16% de água e 2% de matéria não gordurosa. É difícil e cara. Todavia, no supermercado é comum encontrarmos “manteigas” com menor quantidade de gordura láctea. O maior exemplo é a denominada “manteiga ligth”. Substituem a gordura por água com emulgentes – normalmente mono ou diglecéridos de ácidos graxos. Aditivos e conservantes do produto. Esses produtos, consumidos em excesso, não fazem bem para a saúde. A verdadeira manteiga – com 80% a 90% de gordura – não têm contra-indicações. O outro cuidado é de não comprar manteiga que tenha em sua composição alguns óleos vegetais, especialmente os de coco e de palma, que estão sendo colocados sob suspeição.

 

O colesterol da dieta saiu da zona de risco.

Ainda que não seja adotada no Brasil, de fato, desde 2015, a maioria das agências de promoção de saúde de quase todos os países suspenderam as restrições dietéticas do colesterol. Essa mudança começou nos Estados Unidos onde deixaram de considerar o colesterol da dieta como um componente de risco das enfermidades cardiovasculares. Só entre 10% e 15% do colesterol circulante no sangue provêm da alimentação. A maior parte é produzido pelo fígado. Também por essa mudança, a manteiga passou a ser considerada como um alimento saudável.

 

A manteiga tem 20 vezes mais vitaminas que o leite.

Entre as propriedades saudáveis da manteiga, pode ser destacada a alta concentração de vitaminas liposolúveis. A vitamina A que contribui para o funcionamento normal do sistema imunológico, a D que ajuda na absorção do cálcio, a E que possui efeito anti-oxidante e a K que intervêm no processo de coagulação e na manutenção da massa óssea. Uma razão a mais para não excluir a manteiga de sua dieta.

Fonte: Adaptado de:
https://www.campograndenews.com.br/colunistas/em-pauta/manteiga-e-colesterol-as-mudancas-na-medicina