Cultura de segurança de alimentos – Segunda dimensão: Partes interessadas

partes interessadas

Por: Rubiana Enz – Bsi Brasil

 

#culturadesegurançadosalimentos

 

 

 

 

partes interessadas

O que o está previsto no Posicionamento do GFSI:

 

5.1. Partes interessadas na segurança de alimentos

 

“Partes interessadas”, neste contexto, refere-se a todas as pessoas através de todos os aspectos da cadeia de fornecimento, tanto dentro como fora de uma empresa, que fornecem, apoiam ou influenciam de outra forma essa empresa. Isso inclui trabalhadores de campo, pessoal da linha de produção, equipes de manutenção, motoristas de entrega, manipuladores do varejo, garçons e proprietários de franquias.

A maturidade da Cultura de Segurança de Alimentos de uma organização pode ser mensurada pela extensão na qual todas as partes interessadas reconhecem as metas de Segurança de Alimentos compartilhadas, assumem responsabilidade por seu papel ativo na manutenção de padrões da Segurança de Alimentos e trabalham em conjunto para atingir esses objetivos (Apêndice 4).

Grupos de trabalho podem ser estabelecidos como equipes multifuncionais de defensores da Segurança de Alimentos. É importante notar que os membros tradicionais de uma equipe de Segurança de Alimentos não podem ser os únicos responsáveis pela Cultura de Segurança de Alimentos de uma organização.

 

 

Contribuição SEMEAR sobre Partes interessadas

 

Partes interessadas no contexto do Documento de Posicionamento do GFSI não inclui apenas funcionários, mas sim todas as partes que podem influenciar a cultura de segurança de alimentos, ou que podem ser influenciadas para a melhoria da segurança dos alimentos ali fabricados.

 

Devem-se incluir fornecedores diretos e indiretos, todas as etapas de produção sob responsabilidade da empresa, fornecedores de serviço, manutenção, funcionários de todos os setores, logística, armazenagem e transporte, manipuladores nas lojas responsáveis pela disposição/ armazenagem dos produtos, franquias, enfim, todas as partes que estão envolvidas com a segurança do alimento até que ele chegue ao consumidor.

 

Com essa complexidade, como controlar ou influenciar todas essas partes interessadas e incluí-las no programa de cultura de segurança de alimentos?

 

O documento de posição do GFSI traz a importância de grupos multifuncionais para a defesa da segurança de alimentos e o fortalecimento da cultura organizacional.

 

Outro ponto fundamental é a comunicação constante com as partes interessadas, apropriada a cada um dos públicos, para sua efetividade. Monitorar, premiar, é fundamental para os resultados esperados. Os canais mais adequados, linguagem apropriada ao público a que se destina a comunicação, tudo deve ser pensado e decidido para amplificar a mensagem e sua compreensão.

 

Portanto, trabalhar as partes interessadas em todas as dimensões da Cultura de Segurança de Alimentos é muito importante e não pode ser esquecido durante a implementação e a manutenção do programa de maturidade.

 

Referências

GFSI, Cultura de Segurança dos Alimentos, posicionamento do GFSI, V1 – 4/11/18

Conheça a Segunda dimensão: Governança 

Search

Artigos Relacionadas

Exemplos de APPCC para Carnes

Por: Keli Lima Neves Em todos os meus treinamentos sobre APPCC, sempre deixo claro que não há uma receita para construção do Sistema de APPCC.

Agenda ANVISA 2024-2025

Por: Keli Lima Neves Para você se preparar com os temas que serão trabalhados pela ANVISA em 2024 e que podem trazer alterações nas práticas

A BRQuality é uma empresa focada em desenvolver soluções criativas junto aos seus clientes, oferecendo treinamentos e consultorias personalizados, desmistificando e descomplicando o que parece difícil, deixando as equipes preparadas para dar continuidade nos programas e entender sua interação na cadeia de alimentos de forma responsável.