DICAS PARA LABORATÓRIOS: Fluxo laminar ou cabine de segurança biológica? Qual equipamento é mais indicado para o seu laboratório?

Fluxo laminar e cabine de segurança biológica são equipamentos comuns em laboratórios de análises microbiológicas, utilizados para criar áreas estéreis durante o preparo de amostras, de inoculações e outras rotinas onde isso se faz necessário.

O fluxo laminar possui um sistema de exaustão, dotado de filtro(s) HEPA, que promove a recirculação ou renovação de 100% do ar. Este tipo de equipamento protege apenas os produtos que são manipulados em seu interior da contaminação ambiental, não impedindo que o ar do interior da capela saia para o ambiente. De acordo com a direção do fluxo de ar do equipamento, os fluxos laminares podem ser horizontais (renovação de 100% do ar), ou verticais (recirculação de 100% do ar).

Já a cabine de segurança biológica, é um equipamento construído para proteger não só a amostra em análise, mas também o analista e o meio ambiente durante a manipulação de materiais biológicos. Este equipamento, também dotado de filtro(s) HEPA, trabalha totalmente em pressão negativa, impedindo assim que o ar contaminado de seu interior se expanda para fora e contamine o laboratório. As cabines de segurança biológica podem ser divididas em:

Classe II A1 – 70% do ar é recirculado e 30%, renovado, sendo que o ar filtrado é esgotado para dentro do laboratório onde o equipamento está instalado.

Classe II A2 – composta por 2 filtros HEPA, sendo um destinado à filtração de 70% do ar que é recirculado, e o outro para filtrar 30% do ar, que é renovado. O ar filtrado é eliminado para fora do ambiente onde o equipamento opera, através de dutos.

Classe II B2 – possui 2 filtros HEPA que fazem insuflamento e exaustão de 100% do ar (100% de ar renovado), que é eliminado para fora do laboratório através de sistema de dutos. Neste tipo de cabine de segurança, há a formação de uma cortina de ar na parte frontal do equipamento que auxilia na proteção do analista e do ambiente.

Portanto, para você escolher o equipamento mais adequado a sua rotina, precisa levar em consideração os riscos oferecidos pelos possíveis microrganismos manipulados:

  • Para pesagem de amostras de alimentos e bebidas e preparo de diluição, o fluxo laminar é suficiente.
  • Para inoculações de amostras em análise de microrganismos indicadores, a cabine de segurança Classe II A1 garante a segurança do analista e do ambiente
  • Para inoculações de amostras em análise de microrganismos patogênicos, a cabine de segurança Classe II A2 é mais indicada
  • A cabine de segurança biológica Classe II B2 é mais indicada para a manipulação de amostras biológicas contaminadas por vírus e outras bactérias causadoras de doenças como por exemplo, tuberculose.