Você sabe quais são os riscos de cada tipo de alimento?

Por Henrique Neves

 

A segurança dos alimentos vem sendo um tema de preocupação dos consumidores há algumas décadas. Muito mais do que ler a validade no rótulo, entender os riscos ao consumir um produto ou mesmo dá-los aos filhos ou outro ente querido se torna um ponto de atenção em tempos onde tanta besteira circula com velocidade e facilidade pela internet.

 

O curioso é que coisas que impactam a percepção, mesmo não havendo nenhuma fundamentação técnica ou base em fatos, atrai atenção do consumidor que toma suas decisões com base em seus valores, sentimentos e crenças.

 

Por exemplo, em uma pesquisa realizada pela Hanh Public, em 2015, ao questionar os consumidores entrevistados sobre qual tipo de alimentos eles tinham maior medo de consumir em função de potenciais riscos à segurança dos mesmos, 47% responderam que os frutos do mar eram os que eles mais temiam, seguido de 42% que responderam que o medo era consumir carnes (de qualquer tipo). Alimentos prontos ou preparados na hora para viagem foi apontado por 35% dos entrevistados.

 

Vejamos que curioso são estes dados, pois quando confrontamos a percepção contra a realidade, apurando artigos e publicações médicas no mundo todo, relacionadas aos surtos de toxinfecção e/ou doenças transmitidas por alimentos (as famosas DTAs), os maiores causadores, ou seja, as fontes mais comuns destes problemas são os alimentos frescos e os laticínios.

 

Aí você me pergunta, mas ninguém apontou isso na pesquisa que você mencionou. Sim, os alimentos frescos e os lácteos foram citados, mas com um percentual bem baixo, 24,7% tem receio dos alimentos frescos e 24,6% mencionaram ter medo dos lácteos, praticamente um empate técnico, com ambos tendo 1/4 dos entrevistados.

 

Para completar a curiosidade, você tem ideia de qual alimento a turma apontou que têm menos medo ao consumir, consegue adivinhar? Está ligado a uma tecnologia criada em 1795. Sim, é isso mesmo, são os alimentos enlatados!

 

Bacana, não é? Então fique ligado em nossas redes sociais para receber ou ter acesso a mais informações e curiosidades sobre a segurança dos alimentos.