Atualização de medidas temporárias para auditoria durante a pandemia – Covid-19

Nota do editor: A Global Food Safety Initiative está monitorando diariamente a evolução da situação do Covid-19 e está comprometida em publicar atualizações e anúncios oportunos neste espaço.

As operações de alimentos em todos os lugares estão sentindo os efeitos causados ​​pelo COVID-19. Em todo o mundo, estamos vendo exemplos de como toda a indústria de alimentos é resiliente e enfrentando o desafio de manter o mundo alimentado com segurança. Mensagens de apoio e gratidão por seus esforços têm se multiplicado de todos os cantos e todos temos um papel a desempenhar no apoio à cadeia de suprimentos de alimentos e bebidas, que opera sob crescente pressão e enfrenta circunstâncias extraordinárias.

Desde o início desta crise, a comunidade GFSI se uniu para prestar apoio, pois trabalhamos para estabelecer uma posição em todo o setor que melhor atende à indústria de alimentos e bebidas e aos consumidores que contam com ela.

Continuamos ouvindo as partes interessadas e respondendo a perguntas específicas conforme elas são colocadas em nossa página de contato . Nesse sentido, acreditamos que seria útil esclarecer alguns pontos específicos da posição do GFSI com mais detalhes.

O primeiro ponto diz respeito à extensão de certificado e quando as operações devem planejar sua próxima auditoria. O GFSI determinou uma extensão de certificado de seis meses, desde que:

  • o Proprietário do Programa de Certificação (CPO) confirmou que a extensão da certificação é uma opção aceitável para os usuários do programa. Um dos CPOs reconhecidos pelo GFSI optou por não oferecer extensão de certificado, o que é permitido na posição GFSI.
  • uma avaliação de risco confirmou que a extensão do certificado é aconselhável. Essa avaliação de risco deve ser realizada pelo Organismo de Certificação (CB), sob diretrizes do Proprietário do Programa de Certificação e do IAF ID3. Com base nas informações básicas e no contexto atual, o objetivo da avaliação de riscos é confirmar que a organização certificada está equipada para manter as práticas e processos garantidos por seus certificados.

 

Essa avaliação de risco pode basear-se nos dados históricos da organização que ficam com o Organismo de Certificação; também pode envolver informações atuais sobre o impacto da pandemia nas operações da organização. As organizações certificadas podem ser solicitadas a fornecer essas informações aos organismos de certificação para apoiar essa avaliação de risco.

Essa decisão foi tomada para aliviar a pressão da indústria de alimentos neste período de necessidade e incerteza. A posição do GFSI também afirma que a auditoria deve ocorrer sempre que possível, e solicitamos que os OCs e as organizações certificadas revisem continuamente a situação para avaliar a viabilidade de agendar a auditoria vencida o mais rápido possível.

Também aproveitaremos esta oportunidade para responder às perguntas que recebemos sobre auditorias remotas. O GFSI decidiu não apoiar a implementação emergencial de auditorias não padronizadas, especificamente métodos remotos, para substituir as auditorias padrão para fins de certificação. No cerne dessa decisão está a preocupação de que as operações e os auditores de alimentos possam não estar equipados para garantir que novos métodos de auditoria possam ser aplicados sem comprometer a qualidade do certificado, colocando assim as empresas menos equipadas em desvantagem em um momento já difícil.

Continuamos comprometidos com nosso papel de fornecer uma abordagem consistente e harmonizada à segurança de alimentos. Com uma visão global que abrange capacidades e regiões geográficas bastante variadas, a GFSI tem a responsabilidade de considerar os locais ou auditores que possam ter acesso limitado a tecnologias ou uma dependência contínua de registros em papel.

No entanto, o GFSI apoia o uso das Tecnologias de Informação e Comunicação como parte de uma auditoria de segurança alimentar, desde que ocorra dentro de uma estrutura robusta definida pelos Requisitos de Acreditação e pelos Requisitos de Benchmarking do GFSI.

Como já anunciamos, nosso Fórum Consultivo para as Partes Interessadas (SAF) está agilizando seu trabalho sobre esses tópicos e preparando sua recomendação ao Conselho do GFSI sobre emendas e uma adição à versão 2020 dos Requisitos de Benchmarking do GFSI. Uma vez definida essa recomendação, concordaremos com nosso Conselho de Administração sobre como isso pode ser usado para ajudar a gerenciar o alto número de auditorias atrasadas.

Mais uma vez, convidamos todas as partes interessadas a voltarem aqui regularmente e se inscreverem no GFSI News enquanto monitoramos a situação em evolução e publicamos atualizações.

 

Fonte: Global Food Safety Initiative

Linkhttps://bit.ly/2XwaE5t