Contaminação de alimentos: quais precisam de mais atenção?

contaminação de alimentos

Muitos dos alimentos que consumimos diariamente estão sujeitos a contaminação. Por isso, é importante tomar alguns cuidados na hora de escolher o que ingerir. Alimentos como carnes, leite e seus derivados, frutas e vegetais são os mais propensos à contaminação. Fique sempre atento à procedência dos alimentos antes de  comprá-los e tenha cuidado com a manipulação dos alimentos em sua residência, pois, uma pesquisa conduzida pela USP demonstra que a maioria dos casos de intoxicações ou outras doenças alimentares, acontece pela manipulação incorreta em casa. Veja abaixo quais são eles e como consumi-los da maneira correta.

 

O que é a contaminação de alimentos?

A contaminação de alimentos é um problema sério, ela acontece quando qualquer mantimento entra em contato (direto ou indireto) com substâncias ou elementos que representem um risco para a saúde, caso sejam ingeridos. Existem vários tipos de contaminação, e alguns alimentos estão mais propensos à contaminação do que outros. Por isso, é importante conhecer os principais alimentos contaminados e tomar as medidas necessárias para reduzir o risco de contaminação.

 

Quais os tipos de contaminação de alimentos?

Elas podem ser:

 

Físicas: A contaminação física ocorre devido à presença de corpos estranhos aos alimentos. São considerados corpos estranhos: pedras, madeira, cabelo, pregos, giletes, fragmentos de insetos, entre outros.

Químicas: A contaminação química ocorre devido à presença de compostos químicos estranhos ou de toxinas produzidas por microrganismos nos alimentos. São considerados compostos químicos estranhos os inseticidas, os detergentes, os metais pesados, os medicamentos, os corantes e os aditivos (não autorizados) entre outros.

Biológicas: Este tipo de contaminação ocorre devido à presença de microrganismos patogênicos nos alimentos, como por exemplo, bactérias, fungos, parasitas, vírus (hepatite),

 

Quais alimentos estão mais propensos à contaminação?

Todos os alimentos estão propensos a contaminação. Veja abaixo alguns alimentos que requerem cuidados especiais

 

Ovos

O ovo cru ou mal passado pode conter a bactéria Salmonella sp., que causa febre, vômitos e diarreias fortes, sendo ainda mais perigosa nas crianças. Por isso, deve-se evitar o seu consumo mal cozido e também os produtos que têm ovos crus como ingredientes, como mousses, maioneses, coberturas e recheios de bolos. Fique atento ao tempo de preparo e temperatura para garantir que ele esteja livre de contaminações. Uma boa forma de saber se está ok, é garantir que o ovo esteja cozido por completo (clara e gema firmes).

 

Carne vermelha

As carnes apresentam condições favoráveis para a proliferação de bactérias, por isso, é importante estar atento e evitar o consumo desses alimentos mal passados.

Algumas das possíveis contaminações associadas a carne vermelha:

 

Salmonella – Como falamos acima, estas bactérias causam  infecção. Sintomas podem variar de dor de cabeça à forte diarreia. A desidratação pode levar à morte.

 

Escherichia coli – É uma bactéria presente no intestino dos humanos e alguns animais. Existem vários tipos desta bactéria e algumas causam doenças mais graves que as outras. Podem aparecer sintomas como dor de estômago, vômito, diarreia com presença de sangue e algumas podem causar diarreia sanguinolenta aguda, que pode provocar síndrome hemolítico-urêmica.

 

Teníase – É uma doença causada por parasitas que habitam o estômago de animais. Quando contaminada a carne – e consumida mal passada ou crua – pode ser repassado para o ser humano. O parasita pode passar do intestino para a corrente sanguínea e se alojar no cérebro, olhos, pele ou músculos – inclusive do coração – podendo conferir ao portador quadro de cegueira definitiva, convulsão ou, até mesmo, óbito.

 

Lembre-se: não é recomendado lavar a carne, afinal de contas, a água não é suficiente para matar as bactérias, isso só irá aumentar a contaminação de pias e demais alimentos ao redor.

 

Peixe

A tênia do peixe é um problema adquirido pelo consumo de peixe cru ou mal cozido contaminado por uma espécie de platelminto do gênero Diphyllobothrium. A doença, que também é chamada de difilobotríase, não era comum no Brasil até meados de 2003, quando se tornou mais comum o consumo de peixe cru. Ela pode resultar em desconforto abdominal, náuseas, vômitos e diarréia, perda de apetite e de peso, dor abdominal devido à obstrução intestinal causada pela infestação maciça de vermes.

 

Água

A água contaminada é capaz de colocar em risco a saúde da população, por isso é muito importante que a água consumida seja potável. A possibilidade de contaminantes da água é imensa e varia de acordo com a forma de captação da mesma, a água pode carregar bactérias, vírus, parasitas, fertilizantes, pesticidas, medicamentos, nitratos, fosfatos, metais e até substâncias radioativas.

A água pode ser responsável por doenças como amebíase, cólera, giardíase e a hepatite A. É fundamental que você atente se a sua água é potável, se você consome água de fontes alternativas, como poço artesiano ou mina, você precisa analisar essa água.

Alguns contaminantes da água causam doenças imediatas, outros podem se acumular no organismo e contribuir para doenças futura.

 

Enlatados

Uma vez dentro da lata fechada (sem oxigênio), as bactérias começam a decompor a matéria orgânica e produzem gases, o que acaba estufando as latas. Por isso, latas estufadas são um forte indício de que está contaminado com a bactéria e devem ser descartadas.

Os enlatados podem também apresentar uma contaminação pela toxina responsável por uma doença muito conhecida: o botulismo, que tem como principais sintomas visão dupla e embaçada, fotofobia, queda da pálpebra, tonturas, dores de garganta, nariz seco e falha respiratória.

 

Alimentos mistos

Os alimentos mistos são aqueles cuja composição tem ingredientes que pertencem a grupos diferentes (como pizzas, cujos ingredientes podem incluir molho de tomate, queijo, farinha de trigo, milho e muitos outros. O problema do alimento misto é que há uma grande chance de contaminação cruzada. Você passa a bactéria de um alimento contaminado para outro que não estava contaminado.

 

Leia também: Branqueamento de alimentos: como fazer ?

 

E agora?

Calma, não estamos falando para você deixar de consumir esses alimentos!! O que deve ser feito é estar atento às maneiras de conservação, preparo, higiene do local e também as origens do produto.

 

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato com a BRQuality e saiba mais!

 

Leia também: A segurança dos alimentos como fator de escolha dos consumidores

Search

Artigos Relacionadas

Exemplos de APPCC para Carnes

Por: Keli Lima Neves Em todos os meus treinamentos sobre APPCC, sempre deixo claro que não há uma receita para construção do Sistema de APPCC.

Agenda ANVISA 2024-2025

Por: Keli Lima Neves Para você se preparar com os temas que serão trabalhados pela ANVISA em 2024 e que podem trazer alterações nas práticas

A BRQuality é uma empresa focada em desenvolver soluções criativas junto aos seus clientes, oferecendo treinamentos e consultorias personalizados, desmistificando e descomplicando o que parece difícil, deixando as equipes preparadas para dar continuidade nos programas e entender sua interação na cadeia de alimentos de forma responsável.