Principais alimentos que causam alergia alimentar

Alergia alimentar

Fonte: DB Diagnósticos 

A alergia alimentar é uma condição na qual o sistema imune reage a certos tipos de alimentos. Os sintomas geralmente ocorrem minutos ou horas após a ingestão do alimento. A reação alérgica pode causar coceira, inchaço da língua, vômitos, diarreia e dificuldade em respirar.

Os principais alimentos que podem causar alergia alimentar são:

Leite

Uma alergia ao leite geralmente ocorre de minutos a horas após consumir leite. Sinais e sintomas da alergia do leite variam de leve a grave e podem incluir chiados, vômitos, urticária e problemas digestivos. Raramente, alergia de leite pode causar anafilaxia, uma reação grave, com risco de vida.

  • Causas: caseína, alfalactoalbumina e betalactoglobulina.
  • Idade da primeira reação: primeiros meses de vida.
  • Quando se manifesta: nos primeiros 30 minutos ou até 2 horas após o contato.
  • Importância do diagnóstico laboratorial: elaborar um plano abrangente de redução de exposição, para manter o paciente abaixo do limiar dele de sintomas.

Leia mais sobre a alergia ao leite neste artigo.

Ovo

A alergia ao ovo acontece quando o sistema imune identifica as proteínas da clara do ovo como um corpo estranho, desencadeando uma reação alérgica com sintomas como: Vermelhidão e coceira na pele; Dor no estômago; Náuseas e vômitos; Coriza; Dificuldade para respirar; Tosse seca e chiado ao respirar.

  • Causas: proteína ovomucoide, proteína albumina.
  • Idade primeira reação: bebês e crianças.
  • Quando se manifestam: reações de hipersensibilidade imediata ou em 30 minutos após a ingestão.
  • Importância do diagnóstico laboratorial: auxiliar no diagnóstico de alergia a ovo e para monitorar o desenvolvimento da doença. Os valores de diagnóstico são benéficos para os médicos decidirem a necessidade de estimar o risco potencial do ovo para a saúde dos pacientes.

Soja

Se ao ingerir soja, a pessoa sentir coceira na boca ou garganta ou comer outras frutas frescas ou verduras cruas associadas, é possível que tenha uma síndrome de alergia oral (SAO), às vezes chamada de síndrome da alergia pólen-alimento (SAPA). Esse quadro também é causado por uma reação do sistema imunológico a proteínas ou componentes semelhantes encontrados em alimentos vegetais e polens arbóreos.

  • Idade da primeira reação: mais comum em crianças do que em adultos e, aos 10 anos de idade, aproximadamente 70% das crianças alérgicas superarão essa alergia.
  • Quando se manifesta: nos primeiros 30 minutos ou até 2 horas após o contato.
  • Importância do diagnóstico laboratorial: início do tratamento correto para que não haja comprometimentos nutricional, psicológico ou social da criança e da família dela.

Trigo

Os sintomas mais comuns de alergia ao trigo incluem irritação da boca, urticária, dor abdominal, diarreia, náusea, vômito, congestão nasal e olhos lacrimejantes. Em casos graves, uma alergia ao trigo pode até desencadear anafilaxia, na qual o paciente experimenta inchaço na garganta, pulso rápido e dificuldade para respirar.

  • Idade da primeira reação: Infância.
  • Quando se manifesta: ocorre dentro de 1 a 2 horas após a ingestão.
  • Sintomas comuns: asma ocupacional, anafilaxia, urticária de contato, rinite, conjuntivite.
  • Importância do diagnóstico laboratorial: ajuda a elaborar um plano abrangente de redução de exposição, para manter o paciente abaixo do limiar dos sintomas dele.

Oleaginosas

As sementes oleaginosas que mais provocam alergias são: amendoim, castanhas, nozes e avelã. Em alguns pacientes os sintomas podem ser graves e imediatos e podem surgir em qualquer fase da vida. Coceira na região da boca ou no corpo inteiro, espirros, coriza, olhos lacrimejantes, vômitos, cólicas abdominais ou diarreia são alguns dos sintomas que ocorrem nesses casos.

  • Quando se manifesta: Em 30 minutos ou até 2 horas após o contato com o alimento.
  • Sintomas comuns: náuseas, vômitos, prurido, dor abdominal, urticária, angioedema, diarreia, asma e anafilaxia.
  • Importância do diagnóstico laboratorial: auxiliar o médico no processo de inclusão ou de exclusão de nozes na alimentação do paciente sem riscos graves. A alergia alimentar aumenta o estresse e a ansiedade em crianças, o que leva a um impacto negativo na qualidade de vida.

Crustáceos e Frutos-do-mar

Essa alergia é causada pela entrada no organismo de proteínas de certos frutos do mar. Entre eles, os mais suscetíveis a desencadear uma alergia são os crustáceos e os moluscos. No momento em que o corpo detecta esse antígeno, ele gera uma reação inflamatória de defesa que, às vezes, pode se complicar causando sérios danos. O resultado menos desejado é a anafilaxia. Entre os fatores de risco para o desenvolvimento de uma alergia desse tipo está o histórico familiar.

  • Idade da primeira reação: Fase adulta
  • Quando se manifesta: após a ingestão, de 2 horas até 8 horas.
  • Sintomas comuns: urticária acompanhada de angioedema (inchaço), vermelhidão da pele comprometimento respiratório com falta de ar, podendo chegar à insuficiência respiratória e sintomas gastrointestinais como cólicas, vômitos e diarreia.
  • Importância do diagnóstico laboratorial: Educar o paciente e os familiares sobre a ingestão de dieta, os sintomas alérgicos, as consequências deles e a administração de medicação antialérgica, em caso de emergências.

Peixe

O peixe contém uma proteína chamada parvalbumina. Essa proteína é a culpada em quase todos os casos de alergia a peixes. Chamamos esse culpado de alérgeno: um componente de uma substância que pode causar reações alérgicas. Os alérgenos são os mesmos para peixes de água doce e salgada. Às vezes, as pessoas com alergia a peixe podem comer peixes com carne predominantemente vermelha, como espadarte ou atum. Relativamente pouco parvalbumina está presente nestes peixes. No entanto, recomenda-se cautela. Isso ocorre porque este é um alérgeno muito poderoso. Pessoas altamente sensíveis também reagem à poeira do peixe seco, fumaça de cozinha do preparo do peixe ou restos mínimos de peixe que acabam nos utensílios ou em outros alimentos durante o preparo.

  • Idade primeira reação: Fase adulta.
  • Quando se manifesta: em 10 minutos após a ingestão e atingem um pico em 1 a 2 horas.
  • Importância do diagnóstico laboratorial: evitar estritamente peixe em qualquer forma, incluindo produtos derivados.
Search

Artigos Relacionadas

Exemplos de APPCC para Carnes

Por: Keli Lima Neves Em todos os meus treinamentos sobre APPCC, sempre deixo claro que não há uma receita para construção do Sistema de APPCC.

Agenda ANVISA 2024-2025

Por: Keli Lima Neves Para você se preparar com os temas que serão trabalhados pela ANVISA em 2024 e que podem trazer alterações nas práticas

A BRQuality é uma empresa focada em desenvolver soluções criativas junto aos seus clientes, oferecendo treinamentos e consultorias personalizados, desmistificando e descomplicando o que parece difícil, deixando as equipes preparadas para dar continuidade nos programas e entender sua interação na cadeia de alimentos de forma responsável.