Como as bebidas gaseificadas estimulam seus sentidos?

 Do barulho do gás saindo ao abrir uma garrafa ao borbulhar da bebida em nosso paladar, o consumo de bebidas não alcoólicas carbonatadas é uma experiência completa em estímulos sensoriais. A carbonatação, mais conhecida como gaseificação, é capaz de acentuar brilho, odor, sabor e principalmente a textura dos produtos.

Pesquisas avaliam que o CO2 causa um estímulo sensorial complexo no paladar, combinando ao mesmo tempo sabores ácidos, doces e amargos (LEWIS, 2013). A refrescância percebida no consumo desses produtos é atribuída ao processo endotérmico de expansão do gás carbônico na boca e no esôfago. Na ingestão, durante o trajeto da boca ao estômago, ocorre a expansão do gás por processo endotérmico, se desprendendo do líquido, o que causa a sensação de frescor.

A escolha das bebidas carbonatadas tende a ser bastante influenciada pelas características associadas ao prazer e à gastronomia. A água com gás, por exemplo, é capaz de deixar as papilas gustativas mais sensíveis ao gosto dos alimentos, podendo acentuar o seu sabor, sendo, portanto, uma ótima opção antes de apreciar um café ou uma taça de vinho.

O modo como as bolhas fazem cócegas em nossa língua também transforma a experiência de consumo desses produtos em um deleite sensorial. De acordo com pesquisadores do Monell Chemical Senses Center e da Universidade da Pensilvânia, o formigamento sentido por conta da carbonatação, ao contrário do que se pensava, é causado principalmente pela acidez da bebida e não pela sensação de bolhas estourando em nossa boca.

Bastante receptivos a novas experiências sensoriais, diante de novas alternativas oferecidas pela indústria de bebidas não alcoólicas, os consumidores podem perceber que a escolha de um simples refrigerante também pode ser uma questão de adequação à sua própria identidade. Conforme observam analistas da empresa de pesquisa de mercado Mintel, “agregar exclusividade e aspectos premium à categoria de refrigerantes também pode ajudar a deixar o produto mais indulgente, e mais especial” (MINTEL, 2015).

Pela legislação brasileira, muitas outras bebidas podem ser carbonatadas, além dos refrigerantes e águas minerais.

Com informações do livro Brasil Beverage Trends 2020 – ITAL.

Fonte: https://abir.org.br